Pivotar uma empresa

Pivotar uma empresa: conheça esse termo que pode mudar os rumos do seu empreendimento

Praticamente todas as empresas enfrentam um período de crise que traz muitos desafios para que o empreendimento possa continuar operando. Às vezes, a ideia original que levou à fundação do negócio não funciona mais e novos rumos podem ser necessários. Essa mudança de caminhos tem um nome: pivotar.

Compreenda o significado

Pivotar significa “mudar de direção”. Para o empreendedor, é mudar a direção do empreendimento mantendo a base tecnológica existente para que não se perca o que já foi conquistado.

É muito comum que empresas, principalmente startups, pivotem, principalmente no início dos negócios, por causa da incerteza e falta de orientação adequada.

E quando se fala em pivotar, não é em referência àquelas pequenas mudanças nos planos de negócios. Esse tipo de mudança é habitual em qualquer empresa. Pivotar significa uma grande alteração estratégica, um verdadeiro giro para outro direcionamento no esquema operacional dos negócios.

Saiba o momento de pivotar sua empresa

Antes de qualquer coisa, faça uma análise do seu negócio, verifique o mercado em que atua e apure os dados empresariais para ter embasamento para uma decisão. Cada empresa tem a sua própria realidade, mas, de uma maneira geral, costuma-se optar por pivotar quando os caminhos estratégicos adotados até então não estão mais levando o empreendimento a alcançar os objetivos definidos. Caso tenha dúvidas se é o momento certo para pivotar, busque um feedback de seus clientes a respeito do seu negócio. Auxílio profissional também é indispensável. 

Alguns casos que podem levar à pivotagem:

O serviço oferecido ficou obsoleto no mercado.
Seus clientes foram em busca do serviço de outra empresa ou mudaram de interesse.
Uma nova oportunidade de negócio se apresentou para você.
Seu produto não é aceito pelo mercado.

Para pivotar, avalie os seguintes fatores:

O motivo de pivotar. Entenda o que está acontecendo na empresa que faz com que você busque essa ação e analise se a mudança é justificável.
Verifique em qual fase do negócio a empresa se encontra. Negócios iniciantes são mais fáceis de pivotar. Empreendimentos mais antigos requerem um melhor planejamento estratégico.
Observe os recursos disponíveis, pois quanto maior for a mudança, mais tempo e dinheiro serão necessários investir. 

Pivotar é mudar o negócio e não desistir!

O empresário opta por pivotar quando entende o momento pelo qual a empresa passa. Essa atitude é muito diferente de desistir. Pivotar é buscar um meio para que o seu negócio volte a se posicionar no mercado e ser mais flexível e lucrativo. Quem assimila a necessidade de se aprender com os erros, consegue testar novas possibilidades e transformar o negócio em uma atividade ainda maior do que a original.

O insucesso inicial não é motivo para desistência. Lembre-se sempre de que empreender é assumir riscos. Ao perceber a inviabilidade do modelo inicial, pivotar permite estruturar um novo modelo de negócios com uma vantagem preciosa: agora você sabe o erro e já consegue reconhecer quais são as melhores oportunidades para fazer a sua empresa fluir.

Leia também:3 passos para ser um líder melhor

Empresário, já pensou em pivotar? Compartilhe a sua experiência com a gente nos comentários!

empresa junior

Empresa júnior: a porta de entrada dos jovens no mundo dos empreendimentos

Muitos empreendedores começam a idealizar os seus negócios ainda na faculdade. Porém, muitos estudantes universitários ainda não sabem que é possível antecipar a experiência de estar no mercado empreendedor, começar a acumular alguma experiência e aprender sobre liderança e trabalho em grupo por meio da empresa júnior.

Entenda o que é uma empresa júnior

Uma empresa júnior é uma organização sem fins lucrativos, de caráter estudantil, formada por estudantes de nível superior e técnico. O objetivo dessas empresas é promover o crescimento profissional dos alunos ao mesmo tempo em que oferecem serviços de baixo custo para a comunidade local, o que faz delas muito atrativas em termos econômicos.

A empresa júnior fornece ao jovem e futuro empreendedor crescimento pessoal e profissional, pois ele encontra nela a oportunidade de aprender enquanto pratica. Além disso, há uma proximidade maior entre instituições de ensino, sociedade e mercado de trabalho. Os serviços oferecidos costumam se destacar pela qualidade apresentada e estão sempre condizentes com as novidades obtidas pela pesquisa científica feita nas universidades. 

A empresa júnior não pode ser subestimada, sequer vista como uma “aventura de universitários”, pois elas estão movimentando valores na casa dos milhões de reais no Brasil e envolvidas em projetos importantes de grandes marcas.

Como funciona?

Uma empresa júnior precisa ter um registro CNPJ como qualquer outra. É comum que os seus custos relativos à abertura sejam pagos pela própria instituição de ensino. Caso a instituição não tenha condições de arcar com os gastos, é costumeiro que os alunos organizem-se por meio de crowdfundings para a arrecadação financeira. 

Com relação à estrutura organizacional, a empresa júnior é bem semelhante às empresas habituais, possuindo setores de marketing, financeiro, RH etc. Nos cargos, há os que exercem funções de liderança, porém todas as decisões são tomadas em conjunto e as opiniões são sempre ouvidas pela equipe.

Há um detalhe interessante com relação à remuneração na empresa júnior: como é considerado um trabalho voluntário, o estudante que colabora não é remunerado e nem recebe uma bolsa adicional. O objetivo é que ele aprenda e adquira desenvolvimento profissional. 

Os benefícios

✔ Acesso às informações anteriormente disponíveis apenas no ambiente acadêmico.
✔ Diversos segmentos são abrangidos: comunicação, tecnologia, engenharia, agronegócio, entre outros.
✔ Pouca burocracia, fazendo com que os serviços da empresa júnior possam ser facilmente solicitados.
✔ Preço baixo, permitindo que as organizações possam fazer negócios com mais de uma empresa júnior.

Em 2020, levantamento feito pela Agência Brasil informou que existem 1239 empresas juniores no Brasil, compostas por cerca de 23 mil estudantes provenientes de 210 instituições de ensino. O país é o líder mundial no segmento.

Procedimentos para abrir uma empresa júnior

A princípio, os procedimentos iniciais são semelhantes aos de uma empresa convencional. Com relação à regularização, a empresa júnior vai precisar emitir diversos tipos de documentos como estatuto social, ata de fundação, certidão de aprovação etc. Também deverá ter em posse o seu próprio CNPJ.

Depois de reunidos, e já tendo decidido sobre o modelo de negócios e propostas de valores da empresa, os universitários devem se vincular a uma instituição de ensino, que irá disponibilizar um espaço físico para a realização dos trabalhos.

As empresas juniores são uma porta de entrada para os jovens no mundo do empreendedorismo. Com muita seriedade, podem marcar positivamente o funcionamento de diversas outras empresas, contribuindo para o crescimento econômico do país.

Projetos que são inovadores, como o da empresa júnior, devem ser incentivados e o empreendedorismo dessa modalidade sempre deve ser encorajado, pois quanto mais cedo os jovens estiverem inseridos no mercado empreendedor, maiores serão as chances futuras deles serem bem sucedidos em seus próprios empreendimentos.

Gostou do conteúdo? Visite sempre nosso blog para mais informações sobre o mundo da contabilidade e do empreendedorismo.