Black student discussing marketing academic ideas with college team having virtual teleconference meeting sitting at desk in living room. Woman working at deadline project during online webinar

Trabalho híbrido: a combinação perfeita entre o remoto e o escritório

Variar as idas ao escritório com o trabalho remoto, exercido de casa ou de locais apropriados, é a principal característica do trabalho híbrido – modelo adotado por grande parte das empresas durante o período da pandemia de coronavírus – que tem a tendência de permanecer para 2022 como uma característica a ser consolidada definitivamente no mercado de trabalho.

O que é trabalho híbrido?

O modelo de trabalho híbrido dá a possibilidade do colaborador mesclar entre duas opções: a de exercer sua atividade profissional a partir de sua casa – ou de algum lugar apropriado como coworkings – e a de comparecer à empresa sempre que for oportuno ou assim o exigir a tarefa a ser feita.

Especialistas afirmam que o trabalho remoto é uma realidade que veio para ficar, ou seja, será permanente no mercado de trabalho, e, segundo pesquisas, os trabalhadores consideram importante que as empresas continuem com as maneiras flexíveis de colaboração.

As mesmas pesquisas revelam que o trabalho híbrido é uma opção que agrada, pois há atividades que são melhores realizadas em ambiente remoto e ele não abandona a importante presença no escritório, afinal o contato pessoal entre as equipes continua sendo visto como determinante para a melhor realização das atividades.

O trabalho híbrido decretou o fim dos escritórios?

Não é possível responder com exatidão neste momento, pois é uma análise que demanda tempo para se chegar a uma conclusão. 

Contudo, um pensamento sobre a importância dos escritórios já pode ser feito a partir de agora, podendo ser versado a partir do seguinte questionamento: o que no ambiente de trabalho hoje precisa ser feito impreterivelmente no escritório físico?

Os funcionários são um bom meio de consulta para obter um parecer sobre, pois saberão informar à empresa quais tarefas podem ser melhor realizadas de forma presencial. 

Geralmente, é pensado que:

→ Tarefas que exigem alta capacidade de concentração são melhores desempenhadas em ambiente remoto.

→ Trabalhos que pedem colaboração conjunta, e tendem a ser mais complexos, são melhores realizados no escritório.

Ambos formas oferecem benefícios, e quem adota o modelo de trabalho híbrido tende a desfrutar de uma grande vantagem já que pode aproveitar-se do melhor que cada ambiente tende a oferecer, tal como:

No trabalho presencial

→ Melhoras no relacionamento entre a equipe.

→ Maior facilidade para os gestores acompanharem o trabalho realizado.

→ O líder consegue lapidar melhor seu time.

→ Ambiente profissional melhor desenvolvido.

No trabalho remoto

→ Corte de gastos com insumos e mobiliários.

→ Possível aumento de produtividade.

→ Maior flexibilidade de horários.

→ Economia de tempo e energia por parte do trabalhador que não precisa se deslocar até a empresa todos os dias.

Como visto, o modelo híbrido tende a ser muito vantajoso e não são poucas as organizações que têm se convencido disso.

Empresas que adotam o modelo híbrido

Um estudo encomendado pelo Google Cloud junto à consultoria IDC (International Data Corporation) sobre o rumo do trabalho nas empresas brasileiras pós pandemia levantou a estimativa de que cerca de 43% delas optaram por seguir o modelo híbrido de trabalho já a partir de 2021 e que esse regime é o preferido dos trabalhadores.

Listamos, abaixo, algumas empresas que adotam o modelo híbrido de trabalho.

A BLN Contabilidade conquistou muita flexibilidade e possibilitou dinamismo à sua equipe ao adotar o modelo híbrido de trabalho. 

A empresa pensa que o formato permite que os seus colaboradores desfrutem do convívio no escritório, o que é bom para a natureza humana, ao mesmo tempo em que se sentem mais livres quando produzem de maneira remota. Assim, a BLN tem a consciência de que busca oferecer a melhor experiência de trabalho para a sua equipe.

O Bradesco é outra empresa que decidiu manter o modelo híbrido para os próximos anos. O banco, com uma decisão embasada por meio de um estudo próprio, decidiu que em torno de 30% dos seus funcionários da área administrativa não precisarão mais frequentar os escritórios em todos os dias da semana.

Mais uma instituição financeira, dessa vez o Banco do Brasil, planeja que por volta de 10 mil colaboradores adotem o modelo híbrido de trabalho. A expectativa é que cerca de R$ 180 milhões anuais sejam economizados com a medida.

O Twitter já bateu o martelo e determinou que todos os trabalhadores poderão decidir livremente sobre quais dias trabalharão de casa e em quais utilizarão o escritório. 

Leia também: H2H – Conheça a sigla que mudou o relacionamento entre cliente e empresa.

Conclusão

Muitas empresas – inclusive a BLN Contabilidade – compreenderam que é possível que seus colaboradores, por vezes, possam exercer suas atividades profissionais desde suas casas ou de outros locais de sua preferência. E essa é uma ação que pode trazer vantagens para empresários e funcionários.

Às empresas que têm o interesse em implementar o modelo de trabalho híbrido é dito que o processo deve ser muito bem planejado, para que ganhe em eficiência, e que seja integrado à rotina de forma gradual.

Com isso, dá para dizer que o futuro do trabalho não será somente no escritório ou em casa, mas em um modelo híbrido, que hoje tem se mostrado humanizado, entrega bons resultados e tem a preferência de grande parte dos trabalhadores, cabendo às leis trabalhistas adaptarem-se ao novo cenário e às empresas compreenderem melhor quais são as necessidades de seus funcionários para o melhor desempenho de suas funções. 

E-commerce business analytics board vector doodle yellow illustration

Onboarding de clientes – Vantagens e saiba como implementar

Contrato assinado ou produto vendido! Missão cumprida? Não mesmo!

Com o Onboarding de clientes, já se vai longe o tempo em que o relacionamento com o consumidor era encerrado no exato momento da venda. Na verdade, atualmente, esse relacionamento sequer pode ser encerrado, já que é amplamente buscado pelas organizações formas de se manter os laços com os compradores com a intenção de fidelizá-los. 

Para que isso aconteça, é necessário valorizar o cliente e deixá-lo satisfeito com a experiência de compra. Com esse intuito, as empresas têm implementado em seus processos ações que se preocupam com o cliente desde os primeiros contatos até o pós-venda. 

Essas são ações incentivadas pelo Onboarding de clientes e visam uma parceria duradoura entre empresas e consumidores.

O que é o Onboarding de clientes?

Fazer o Onboarding de clientes é permitir que o consumidor tenha a melhor experiência possível com a aquisição (produto ou serviço) feita com a empresa. 

Todos os processos devem ser planejados e a venda não pode ser mais tratada como o fim entre as interações cliente e empresa. O pós-venda também é primordial, pois nessa fase é comum que o cliente tenha dúvidas com relação ao que foi adquirido e precise recorrer à empresa para dirimi-las. 

O ponto de partida para realizar um Onboarding de clientes de excelência é imaginar o processo sob a ótica do consumidor. Uma boa pergunta guia pode ser “qual experiência o meu cliente almeja ter após adquirir o produto ou serviço com a minha empresa?”.

A instituição precisa estar ciente de que, caso o cliente precise de algum conhecimento ou informação necessária para utilizar o que foi adquirido, será com ela que ele buscará auxílio.

Um Onboarding de clientes feito com qualidade ajuda a empresa a conquistar a fidelidade do cliente. Até por isso, todos os processos devem ser gerenciados por uma equipe estruturada, que possa mensurar resultados e avaliar os resultados obtidos.

Vantagens do Onboarding de clientes

O processo de Onboarding de clientes permite as seguintes vantagens:

Oportunidade de orientar – Uma empresa que deseja o sucesso do cliente deve mostrá-lo o caminho. Consumidores que não são bem orientados tendem a ter dúvidas, o que pode gerar insatisfação. O Onboarding sabe quais passos o cliente deve seguir e o guia rumo à experiência satisfatória.

Melhora o relacionamento entre cliente e empresa – Pela proximidade causada pelo acompanhamento dos processos, consumidor e empresa estreitam laços. Clientes que se tornam amigos da marca são os maiores divulgadores dela no mercado.

Retenção de clientes – Um cliente acompanhado pela empresa durante todos os processos tende a ser fidelizado, ou seja, a sua marca sempre será a referência com relação ao que foi oferecido.

Ideias para usar no Onboarding de clientes

É universal: todo cliente gosta de ser bem atendido. Como o Onboarding de clientes foca na experiência do consumidor, é interessante que as empresas possam tornar possíveis as seguintes medidas:

✔️ Disponibilizar um tutorial online para ensinar os clientes a usar o produto ou serviço que foi vendido.

✔️ Fornecer informações sobre o produto e explicar sobre sobre sua utilidade.

✔️ Manter no site uma área com respostas às questões que são mais levantadas pelos consumidores.

✔️ Enviar um e-mail agradecendo pela compra, oferecer cupons de desconto para uma aquisição futura e perguntar se o cliente está satisfeito com o produto.

Após todos os procedimentos realizados, a empresa precisa estar segura de que o cliente tem todas as informações necessárias para usar o produto por conta própria. 

A empresa não deve correr o risco de o cliente se sentir “abandonado” após o processo. Para resolver isso, consultas periódicas são indicadas para que o consumidor mantenha-se engajado até a próxima aquisição.

O Onboarding de clientes: oportunidade de novas vendas

Por fim, ao assimilar que o Onboarding de clientes é uma maneira objetiva de reter clientes, a empresa demonstra estar disponível para receber o consumidor para efetuar novas vendas. 

A partir de então, todo contato inicial com o cliente deve ser visto como uma etapa inicial para a construção de uma parceria que será conquistada por meio das experiências positivas e diferenciadas que serão percebidas pelo consumidor durante sua compra.

Mantenha sua equipe alinhada e pronta e não meça esforços para encantar o seu cliente!

Business, finance and employment, female successful entrepreneurs concept. Friendly smiling real estate broker showing best deal to clients on digital tablet display, working with customers.

H2H – Conheça a sigla que mudou o relacionamento entre cliente e empresa

Empresas que são feitas por seres humanos e para os seres humanos, que prezam pela construção de laços afetivos, tendo-os como primordiais para a construção de um relacionamento longevo entre empreendimentos e consumidores. 

Essas são as propostas pregadas pelo “Marketing Human to Human”, expressão em inglês que deu origem à sigla H2H, que veio para mudar de vez a forma como os clientes são vistos no mundo dos negócios. 

H2H: uma definição conceitual

É comum que o marketing adote siglas para descrever as estratégias interativas que são utilizadas no ambiente empresarial. Anteriormente, as siglas B2B e B2C, por exemplo, eram das mais conhecidas entre as que definiam o foco das relações entre empresa e cliente. Em tempos atuais, fica evidente uma falha gritante delas: focavam apenas nas necessidades da empresa.

O H2H tem o seu foco voltado ao ser humano e leva em conta os seus sentimentos, necessidades e anseios. São pessoas que produzem e criam conexões com outras pessoas, com ambas as partes equivalendo-se em importância.

O objetivo é tornar a relação entre empresa e cliente humanizada, para que o consumidor não seja mais visto apenas como “alguém apto a comprar”, mas como uma pessoa portadora de emoções e que ocupa uma posição determinante para as pretensões da empresa.

As estratégias do H2H são feitas com vistas a melhorar a interação, permitindo que o cliente compreenda o que lhe é informado por meio de contatos simples, porém pontuais que geram engajamento e dão uma maior personalidade ao atendimento da empresa.

Implementação da estratégia H2H

No cenário empresarial, para uma boa implementação do modelo H2H, é preciso que exista um comprometimento de todos os colaboradores para que os ideais da estratégia sejam mantidos fielmente em todos os departamentos, principalmente nos responsáveis pelo atendimento.

A comunicação é o canal principal de atuação do H2H e deve ser feita de maneira clara, simples e objetiva. A internet transformou os canais de comunicação empresarial, dando maior alcance à voz das pessoas, permitindo ao público muito mais espaço para a manifestação das suas necessidades.

Nesse campo, as mídias sociais são ferramentas que não podem ser negligenciadas pela capacidade que têm de gerar conexões. Por meio delas, é possível conhecer o perfil do cliente, saber mais sobre o seu comportamento e pensar em soluções direcionadas às suas necessidades. Outra vantagem é a possibilidade de manter um contato direto para ouvir dúvidas e interagir com suas mensagens. 

Ainda pensando sobre a implementação do modelo H2H, é esperado que algumas falhas surjam de início e isso é considerado normal, afinal, se trata de humanos buscando a simplificação de processos para que estejam em destaque as necessidades de outro ser humano.

Benefícios da estratégia H2H

Um dos principais benefícios proporcionados pela estratégia H2H é a criação de uma relação de parceria com o consumidor, permitindo que feedbacks sejam obtidos com mais facilidade e entendimento sobre como está a imagem da empresa sob a ótica deles. 

Poder fazer melhorias na própria empresa tendo como base o que pensam os clientes é um grande trunfo. Isso faz com que o consumidor se sinta valorizado ao perceber que ele pode ser uma voz ativa e que o seu relacionamento com a organização é baseado na confiança e na parceria.

Outra vantagem é a de ter o cliente como uma espécie de advogado da marca, já que um cliente satisfeito com o atendimento se torna um grande aliado, tende a defender a empresa e divulgá-la a outros consumidores.

E jamais pode ser esquecido que um cliente que se sente especial é um cliente que se torna fiel.

Conclusão

O relacionamento empresa e cliente, mediado pela estratégia H2H, está amparado em um bom atendimento. Consolidá-lo, com empatia e respeito, é uma forma de gerar conexões humanas próximas e duradouras. 

Negócios são feitos por pessoas, e mesmo quando o consumidor final for outra empresa, empresas são feitas por pessoas. Permitir experiências que engajam, ajudam o empreendimento a se destacar no mercado. 

A BLN Contabilidade sabe bem de tudo disso e compreende as vantagens permitidas pelo H2H e tem no atendimento humanizado um dos pilares mais importantes para a edificação de um relacionamento saudável com os seus clientes.

Precisando de auxílio contábil, faça contato, nos explique sua urgência que teremos alegria de ouvi-lo e partir em busca de uma solução prática e efetiva para o seu problema!

black friday

Black Friday – As tendências para 2021

Novembro é um mês muito celebrado pelos consumidores brasileiros e, no caso de 2021, o dia 26, a última sexta-feira, será um dia tido como especial, pois nele acontecerá a tão esperada Black Friday, famoso evento comercial adotado pelo varejo que oferece grandes descontos para a venda de produtos de diversas categorias. 

Seja em E-commerce, em shopping centers ou nas lojas de rua, a popularidade do evento vem aumentando em todos anos desde a sua primeira edição, realizada em 2010, graças à busca das pessoas pelas ofertas.

A expectativa de conseguir boas compras – e boas vendas – aquece o comércio de fim de ano no Brasil e prepara o cenário para as compras de festas de fim de ano. 

O que esperar da Black Friday 2021?

Em toda edição da Black Friday existe a expectativa de que sejam superados os números obtidos no evento do ano anterior. 

Em 2020, prejudicados pela pandemia e pela restrição na circulação de pessoas, os shoppings e o comércio de rua enfrentaram dificuldades e não registraram um crescimento que pudesse ser avaliado como considerável nas vendas com relação ao ano anterior.

O mesmo não pode ser dito para o E-commerce, já que, sem poder sair de casa, o consumidor mudou os seus hábitos de consumo e passou a comprar pela internet, o  que permitiu ao setor um crescimento de 31%, resultando em uma receita de mais de R$ 5,1 bilhões, números que foram considerados os maiores obtidos com relação ao volume de vendas online registrados no Brasil em todos os tempos.

Sendo assim, com a economia reaberta, e com shoppings e lojas de rua voltando a funcionar para um número maior de pessoas, é esperado que a Black Friday de 2021 supere todos os recordes dos anos anteriores e se torne o maior evento comercial da história do Brasil. 

Black Friday 2021: o foco será na experiência do consumidor

Black Friday

Por ser vista como estratégica pelos maiores varejistas do país, a Black Friday é preparada com muita antecedência pelas empresas. O foco principal tende a continuar no online, com o E-commerce na liderança das vendas, sendo praticamente consenso entre os lojistas que a experiência de compra do cliente estará entre as maiores prioridades.

É esperado que as seguintes práticas sejam realizadas:

“Esquenta” da Black Friday

Apesar de estar marcada para o dia 26 de novembro, a Black Friday nunca acontece em apenas um dia. O comércio tem o hábito de iniciar os descontos dias antes (às vezes chegam a ser realizadas liquidações durante o mês inteiro) como uma forma de preparar os consumidores, criando expectativas neles para o grande dia de ofertas. 

Também é comum que os descontos sejam continuados por diversos dias após a Black Friday, como forma de esgotar os produtos em estoque e aproveitar um pouco mais o hype causado pelo evento e levá-lo até o Natal e o Ano Novo. Acreditamos que essa também será uma forte tendência em 2021.

Foco na experiência do consumidor

Além dos bons descontos oferecidos pela Black Friday, é certo que os consumidores também estarão em busca dos varejistas que lhes possam oferecer o melhor atendimento. 

Cientes disso, e de que os clientes estão cada vez mais exigentes, as empresas também dedicarão suas atenções para a experiência de compra do consumidor, oferecendo plataformas de venda mais estáveis, maior atenção às dúvidas e uma melhor logística para agilizar a entrega. 

Todas essas iniciativas são desafiadoras em virtude do grande volume de clientes e vendas que são esperados.

Mais compras planejadas, menos compras por impulso

black friday

É pouco provável que a maioria dos consumidores compre por impulso na Black Friday de 2021. 

Com o país tendo previsão de alta para a inflação e com o desemprego ainda atingindo uma parcela considerável de brasileiros, é esperado que os clientes já saibam de antemão o que irão comprar e já tenham pesquisado em diversas lojas sobre os itens que pretendem adquirir. 

Os comerciantes deverão  saber se diferenciar dos concorrentes, compreender antecipadamente as necessidades de consumo deles e criar promoções que sejam de fato atrativas ao público.

Expectativas sobre o comportamento do consumidor

Com base em pesquisa feita e publicada por meio de infográfico da plataforma Gente, é possível conseguir orientação sobre como será o comportamento do consumidor na Black Friday 2021.

Os dados obtidos revelam que:

→  32% dos consumidores pretendem efetuar gastos com peças de vestuário.
→  29% pretendem adquirir bens ligados à tecnologia, como smartphones e televisores.
→  23% almejam itens como móveis e eletrodomésticos.
→  57% afirmam que a sua situação financeira piorou no início de 2021.

Desses últimos, 51% acreditam que terão melhores condições para comprar na Black Friday.

Sobre fatores que influenciam para a tomada de decisão no processo de compra, ter uma boa experiência e lidar com empresas que estejam preocupadas com o meio ambiente e ligadas às questões ambientais são tratadas como ações das mais importantes pelos consumidores.

Novos canais de venda, como whatsapp, redes sociais e aplicativos vêm sendo utilizados por cerca de 80% dos consumidores ao realizar suas compras em 2021 e também ocuparão lugar de destaque na Black Friday.

A pesquisa também revela que nem só de produtos viverá a Black Friday desse ano. Os serviços também serão muito requisitados, com restaurantes e delivery de fast food  e medicamentos liderando a lista dos que serão mais procurados pelos consumidores.

Essas são as nossas expectativas para a Black Friday 2021 e esperamos que todos os envolvidos, sejam consumidores ou lojistas, possam conquistar os seus objetivos enquanto contribuem para um melhor desempenho econômico de nosso país.

Está pronto para a Black Friday?

Open Banking

Open banking: menor burocracia e maior segurança nas transações financeiras

Uma verdadeira revolução no mercado financeiro para tornar os serviços bancários  mais competitivos. Essa é a proposta do sistema Open Banking, criado pelo Banco Central e que será completamente implantado no Brasil até o final de 2021.

O que é o Open Banking?

O Open Banking (Sistema Financeiro Aberto) é uma proposta baseada no compartilhamento de dados dos usuários entre instituições financeiras com o objetivo de disponibilizar soluções mais vantajosas e serviços personalizados às necessidades individuais de cada usuário.

Existe a expectativa de que as mudanças propostas pelo Open Banking promoverão a inclusão financeira, tornando o sistema bancário inovador e muito mais eficiente, além de dar ao cliente um maior poder de decisão com relação às informações que serão compartilhadas.

Melhorias na avaliação de crédito e serviços bancários mais concorridos, com produtos mais baratos chegando às mãos dos clientes, também são esperadas. 

Todos os dados compartilhados deverão ser autorizados pelos clientes, que ganha um ar de “gestor do processo”, já que ele irá dizer quais dados poderão ser compartilhados e por quanto tempo serão acessados, podendo, até mesmo, cancelar o compartilhamento a qualquer momento.

Benefícios do sistema Open Banking

Open Banking

Concessão de crédito

A expectativa é que os créditos sejam concedidos mais facilmente em virtude da instituição já conhecer o perfil dos clientes, saber calcular melhor os riscos e poder oferecer uma taxa mais adequada às suas condições.

Dados armazenados em ambiente seguro

O compartilhamento de dados obedece às regulamentações da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e ficará em ambiente seguro, com medidas que visam a redução de incidentes e vulnerabilidades no ambiente cibernético.

A segurança no Open Banking é de responsabilidade das financeiras, com regras equivalentes às do sigilo bancário.

Autonomia sobre os próprios dados

No Open Banking, o cliente tem controle sobre os seus dados e decide com quais instituições eles serão compartilhados e quais informações estarão disponíveis. Para isso, o próprio deve informar ao sistema “de maneira prévia e inequívoca” sobre a sua vontade.

As instituições não poderão compartilhar os dados sem a autorização do usuário e deverão disponibilizar canais digitais onde os usuários poderão gerenciar suas informações.

Quais dados serão compartilhados?

Serão compartilhados dados como endereço, estado civil, serviços financeiros contratados, faturamento, limites de contas, saldos, operações com cartão de crédito, operações de câmbio, investimentos entre outros, com alguns desses dados fazendo parte do banco de informações somente a partir de maio de 2022.

Instituições financeiras presentes no Open Banking

As instituições participantes do Open Banking devem estar sob a supervisão e a regulamentação do Banco Central. Somente elas poderão mediar o encontro entre clientes e serviços financeiros.

Entre as instituições autorizadas estão bancos comerciais, de desenvolvimentos e de investimentos, corretoras e a Caixa Econômica Federal

Instituições que não estiverem regularizadas não poderão participar do Open Banking.

A estimativa é que 5 milhões de brasileiros ingressem no sistema após um ano da sua fase final de implementação, que se dará no dia 15 de dezembro de 2021.

images

Fuja das pirâmides financeiras!

De início, as pirâmides financeiras parecem ser o investimento perfeito: aplicar valores baixos e ter um retorno considerável em poucos dias. Com o tempo, o esquema revela-se insustentável, fadado ao colapso, e o seu investimento tende a virar um grande pesadelo.

O que são pirâmides financeiras?

Pirâmides financeiras são esquemas onde um grupo de pessoas oferece vantagens para outras pessoas, normalmente com poucos conhecimentos sobre o assunto e enfrentando dificuldades financeiras, para que entrem no esquema proposto investindo um valor determinado em dinheiro, vindo a ter um retorno bem maior do que o investido e em pouco tempo. 

Praticar pirâmides financeiras, além de proibido, é considerado crime no Brasil de acordo com a lei 1521/51. A fraude é caracterizada pelo esquema apenas ser alimentado por novos investidores, beneficiando os antigos, porém, quando novos membros param de ingressar no esquema, ele entra em colapso por não ter mais como fornecer os retornos financeiros prometidos. Também não é incomum que os líderes das pirâmides financeiras desapareçam com o montante em dinheiro arrecadado.

Uma variação do golpe é caracterizada pela venda de produtos, numa tentativa de ocultar o crime, em um esquema igualmente fraudulento.

Características das pirâmides financeiras

É bem comum que o esquema tenha as seguintes características:

→ Promessa de lucro fácil e garantido.
→ Informações desencontradas sobre o que está sendo oferecido.
→ Promessa de bônus nos rendimentos caso novos participantes sejam indicados.
→ Informações obscuras acerca da empresa e de seus líderes.
→ Exibição de imagens de membros do grupo em viagens internacionais e com bens de consumo de luxo.
→ Muito apelo emocional e pressa para que a pessoa ingresse imediatamente no esquema.

Para que se tenha uma ideia sobre o tamanho da fraude, cerca de 85% dos membros do esquema têm apenas prejuízos. O ganho garantido é apenas dos líderes, que estão no topo da pirâmide, costumam ser poucos e têm o seu faturamento garantido com o ingresso de novos participantes. 

O que fazer caso caia na fraude das pirâmides financeiras

A orientação é registrar uma queixa junto ao Ministério Público ou às polícias estaduais e federais. A vítima pode requerer indenizações por danos morais e materiais e resgatar os valores que foram investidos. Segundo a lei, a empresa é obrigada a devolver o dinheiro investido. 

Comprovado o esquema das pirâmides financeiras, os líderes responderão por estelionato (quando o criminoso se beneficia de um dinheiro recebido de maneira ilegal) e poderão ser condenados a até cinco anos de prisão. Para se proteger, verifique em quais órgãos públicos ou instituições financeiras as pessoas envolvidas estão registradas ou ligadas.

Confira a veracidade de CNPJs e verifique se há registro junto à Receita Federal ou à Junta Comercial do Estado e se há um endereço físico, mesmo que seja um escritório. Informe-se sobre a existência de processos judiciais em nomes dos líderes do esquema ou se eles têm nome sujo no SPC. E peça ajuda profissional, contadores, administradores e economistas podem ajudar com informações importantes que protegerão o seu dinheiro de esquemas fraudulentos e poderão indicar maneiras mais seguras de investir.

Plenário do Senado durante reunião preparatória destinada à eleição do presidente do Senado Federal para o segundo biênio da 56º Legislatura.

A eleição ocorre de forma presencial, seguindo as medidas de segurança contra a covid-19, e obedecendo o Regimento Interno da Casa, que prevê a votação por meio de cédulas em papel inseridas em envelope. 

Presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), conduz reunião. 

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Aumento de limite para MEI aprovado pelo Senado

O Senado Federal aprovou projeto de lei que prevê aumento no faturamento anual do MEI (microempreendedor individual) para o ano de 2022.

Faturamento do MEI

Atualmente, o MEI tem como limite de faturamento bruto o valor de R$ 81 mil anuais, o equivalente a R$ 6.750,00 mensais. O Projeto de Lei Complementar (PLP) 108/2021, o que foi aprovado pelo Senado, permite que esse valor seja aumentado para R$ 130 mil anuais, cerca de R$ 10.833,00 mensais. 

A proposta segue para análise da Câmara dos Deputados e, sendo aprovada, passará pela sanção do presidente da República e passará a vigorar a partir de 1º de janeiro de 2022.

Novos benefícios para o MEI

Além do novo limite para faturamento, o texto da lei trata de mais alguns benefícios para o MEI:

Contratação de funcionários

A legislação atual diz que o MEI tem o direito de contratar apenas um funcionário que receba, no máximo, um salário mínimo. A PLP 108/2021 permitirá que o microempreendedor contrate dois funcionários, que poderão receber um salário mínimo cada ou serem remunerados de acordo com o piso salarial da categoria que pertençam. 

A iniciativa contribui para a diminuição do desemprego, ao gerar vagas formais, e regularização de funcionários que hoje trabalham de forma irregular.

Redução de impostos

Outro benefício que o projeto prevê atinge os empresários que estão na condição de microempresa. Com o aumento do limite, eles poderão se delimitar como MEI, pagar menos impostos e desfrutar das vantagens oferecidas à categoria.

As novas propostas são vistas como benéficas à categoria, com os empresários podendo investir mais em insumos e produtos, e devem impactar cerca de 11 milhões de CNPJs. A economia do país também será beneficiada já que mais empregos e renda serão gerados. 

Pivotar uma empresa

Pivotar uma empresa: conheça esse termo que pode mudar os rumos do seu empreendimento

Praticamente todas as empresas enfrentam um período de crise que traz muitos desafios para que o empreendimento possa continuar operando. Às vezes, a ideia original que levou à fundação do negócio não funciona mais e novos rumos podem ser necessários. Essa mudança de caminhos tem um nome: pivotar.

Compreenda o significado

Pivotar significa “mudar de direção”. Para o empreendedor, é mudar a direção do empreendimento mantendo a base tecnológica existente para que não se perca o que já foi conquistado.

É muito comum que empresas, principalmente startups, pivotem, principalmente no início dos negócios, por causa da incerteza e falta de orientação adequada.

E quando se fala em pivotar, não é em referência àquelas pequenas mudanças nos planos de negócios. Esse tipo de mudança é habitual em qualquer empresa. Pivotar significa uma grande alteração estratégica, um verdadeiro giro para outro direcionamento no esquema operacional dos negócios.

Saiba o momento de pivotar sua empresa

Antes de qualquer coisa, faça uma análise do seu negócio, verifique o mercado em que atua e apure os dados empresariais para ter embasamento para uma decisão. Cada empresa tem a sua própria realidade, mas, de uma maneira geral, costuma-se optar por pivotar quando os caminhos estratégicos adotados até então não estão mais levando o empreendimento a alcançar os objetivos definidos. Caso tenha dúvidas se é o momento certo para pivotar, busque um feedback de seus clientes a respeito do seu negócio. Auxílio profissional também é indispensável. 

Alguns casos que podem levar à pivotagem:

O serviço oferecido ficou obsoleto no mercado.
Seus clientes foram em busca do serviço de outra empresa ou mudaram de interesse.
Uma nova oportunidade de negócio se apresentou para você.
Seu produto não é aceito pelo mercado.

Para pivotar, avalie os seguintes fatores:

O motivo de pivotar. Entenda o que está acontecendo na empresa que faz com que você busque essa ação e analise se a mudança é justificável.
Verifique em qual fase do negócio a empresa se encontra. Negócios iniciantes são mais fáceis de pivotar. Empreendimentos mais antigos requerem um melhor planejamento estratégico.
Observe os recursos disponíveis, pois quanto maior for a mudança, mais tempo e dinheiro serão necessários investir. 

Pivotar é mudar o negócio e não desistir!

O empresário opta por pivotar quando entende o momento pelo qual a empresa passa. Essa atitude é muito diferente de desistir. Pivotar é buscar um meio para que o seu negócio volte a se posicionar no mercado e ser mais flexível e lucrativo. Quem assimila a necessidade de se aprender com os erros, consegue testar novas possibilidades e transformar o negócio em uma atividade ainda maior do que a original.

O insucesso inicial não é motivo para desistência. Lembre-se sempre de que empreender é assumir riscos. Ao perceber a inviabilidade do modelo inicial, pivotar permite estruturar um novo modelo de negócios com uma vantagem preciosa: agora você sabe o erro e já consegue reconhecer quais são as melhores oportunidades para fazer a sua empresa fluir.

Leia também:3 passos para ser um líder melhor

Empresário, já pensou em pivotar? Compartilhe a sua experiência com a gente nos comentários!

empresa junior

Empresa júnior: a porta de entrada dos jovens no mundo dos empreendimentos

Muitos empreendedores começam a idealizar os seus negócios ainda na faculdade. Porém, muitos estudantes universitários ainda não sabem que é possível antecipar a experiência de estar no mercado empreendedor, começar a acumular alguma experiência e aprender sobre liderança e trabalho em grupo por meio da empresa júnior.

Entenda o que é uma empresa júnior

Uma empresa júnior é uma organização sem fins lucrativos, de caráter estudantil, formada por estudantes de nível superior e técnico. O objetivo dessas empresas é promover o crescimento profissional dos alunos ao mesmo tempo em que oferecem serviços de baixo custo para a comunidade local, o que faz delas muito atrativas em termos econômicos.

A empresa júnior fornece ao jovem e futuro empreendedor crescimento pessoal e profissional, pois ele encontra nela a oportunidade de aprender enquanto pratica. Além disso, há uma proximidade maior entre instituições de ensino, sociedade e mercado de trabalho. Os serviços oferecidos costumam se destacar pela qualidade apresentada e estão sempre condizentes com as novidades obtidas pela pesquisa científica feita nas universidades. 

A empresa júnior não pode ser subestimada, sequer vista como uma “aventura de universitários”, pois elas estão movimentando valores na casa dos milhões de reais no Brasil e envolvidas em projetos importantes de grandes marcas.

Como funciona?

Uma empresa júnior precisa ter um registro CNPJ como qualquer outra. É comum que os seus custos relativos à abertura sejam pagos pela própria instituição de ensino. Caso a instituição não tenha condições de arcar com os gastos, é costumeiro que os alunos organizem-se por meio de crowdfundings para a arrecadação financeira. 

Com relação à estrutura organizacional, a empresa júnior é bem semelhante às empresas habituais, possuindo setores de marketing, financeiro, RH etc. Nos cargos, há os que exercem funções de liderança, porém todas as decisões são tomadas em conjunto e as opiniões são sempre ouvidas pela equipe.

Há um detalhe interessante com relação à remuneração na empresa júnior: como é considerado um trabalho voluntário, o estudante que colabora não é remunerado e nem recebe uma bolsa adicional. O objetivo é que ele aprenda e adquira desenvolvimento profissional. 

Os benefícios

✔ Acesso às informações anteriormente disponíveis apenas no ambiente acadêmico.
✔ Diversos segmentos são abrangidos: comunicação, tecnologia, engenharia, agronegócio, entre outros.
✔ Pouca burocracia, fazendo com que os serviços da empresa júnior possam ser facilmente solicitados.
✔ Preço baixo, permitindo que as organizações possam fazer negócios com mais de uma empresa júnior.

Em 2020, levantamento feito pela Agência Brasil informou que existem 1239 empresas juniores no Brasil, compostas por cerca de 23 mil estudantes provenientes de 210 instituições de ensino. O país é o líder mundial no segmento.

Procedimentos para abrir uma empresa júnior

A princípio, os procedimentos iniciais são semelhantes aos de uma empresa convencional. Com relação à regularização, a empresa júnior vai precisar emitir diversos tipos de documentos como estatuto social, ata de fundação, certidão de aprovação etc. Também deverá ter em posse o seu próprio CNPJ.

Depois de reunidos, e já tendo decidido sobre o modelo de negócios e propostas de valores da empresa, os universitários devem se vincular a uma instituição de ensino, que irá disponibilizar um espaço físico para a realização dos trabalhos.

As empresas juniores são uma porta de entrada para os jovens no mundo do empreendedorismo. Com muita seriedade, podem marcar positivamente o funcionamento de diversas outras empresas, contribuindo para o crescimento econômico do país.

Projetos que são inovadores, como o da empresa júnior, devem ser incentivados e o empreendedorismo dessa modalidade sempre deve ser encorajado, pois quanto mais cedo os jovens estiverem inseridos no mercado empreendedor, maiores serão as chances futuras deles serem bem sucedidos em seus próprios empreendimentos.

Gostou do conteúdo? Visite sempre nosso blog para mais informações sobre o mundo da contabilidade e do empreendedorismo.

file

O que é o registro contábil de uma empresa?

Gerir uma empresa da maneira correta requer que o empresário tome diversos cuidados relacionados ao controle contábil da empresa. Para que a gestão ocorra apresentando resultados positivos, o registro contábil se apresenta como uma ferramenta aliada dos contadores e empresários na busca pela otimização do desempenho da empresa.

Qual é a função do registro contábil de uma empresa?

O registro contábil assinala todos os eventos ligados à economia e ao financeiro da empresa. Por meio dele, contadores e empresários conseguem saber sobre a saúde financeira da empresa, analisando receitas, gastos e permitindo saber quanto ela gera de lucro ou de despesas. Ainda é possível saber por meio do registro contábil o total dos bens que foram acumulados e sobre o patrimônio líquido acumulado.

De acordo com a Interpretação Técnica Geral (ITG), aprovada em 2010 pelo Conselho Federal de Contabilidade, o registro contábil de uma empresa é obrigatório para todos os tipos de empresa, independentemente de seu formato jurídico ou aporte financeiro.

O registro contábil é sempre feito por um contador, porém ele não trabalha sozinho, pois precisa de informações que só podem ser fornecidas pelo empresário responsável pela gestão da empresa. 

Registro contábil: parceria entre contador e empresário.

Como dito antes, contador e empresário colaboram juntos para que o registro contábil da empresa seja processado corretamente.

O contador será o responsável pela visão técnica do procedimento, verificando que tudo esteja de acordo com o Conselho Federal de Contabilidade. Já o empresário deve fornecer todas as informações econômicas solicitadas pelo contador. Tudo deve ser relevado com clareza e honestidade, visando o melhor resultado para a empresa. 

Às vezes, surgem dúvidas sobre quais informações devem ser fornecidas. Não há como padronizar, cada caso será diferente e dependerá do tipo de serviço prestado pelo contador. Comumente, as informações são sobre pagamentos de impostos e sobre a folha de pagamento. Contudo, estas podem ser informações que o seu contador já saiba por controlar esses serviços para a empresa.

Entre as informações que serão certas do contador depender da ajuda do empresário estão os extratos bancários da empresa, comprovantes de pagamento de despesas, contratos de aluguel etc. Ou seja, todos os dados que não passam pelo contador devem ser fornecidos pelo empresário.

Lembrando que, tratando-se de periodicidade, não há um prazo determinado legalmente, mas, habitualmente, o registro contábil é feito mensalmente.

Caso tenha ficado alguma dúvida, você pode deixá-la nos comentários abaixo, combinado?