Diverse team of people meeting with woman on videocall communication, talking about startup business. Female employee with disability using online videoconference for remote conversation.

Pensamento analítico e saber resolver problemas | As habilidades que mais serão demandadas nas próximas décadas

No presente, muitos profissionais têm demonstrado interesse em entender como será a demanda futura por habilidades tecnológicas e cognitivas, na tentativa de compreender, e desenvolver, as aptidões necessárias para atender à seguinte questão: quais aptidões profissionais serão determinantes para a inclusão profissional nas próximas décadas? 

Interessada por esse tema, e disposta a encontrar uma resposta para essa questão, a BLN consultou um estudo da Society for Human Resource Management – SHRM, uma organização americana que pesquisa sobre como as ações sociais impactam o ambiente do trabalho – para incentivar o debate acerca do assunto e pensar em uma solução, que, certamente, surge amparada em duas expressões: pensamento analítico e resolver problemas.

Vamos pensar juntos sobre ambas?

Por que o pensamento analítico e a capacidade de resolver problemas serão as habilidades do futuro?


Em um mundo altamente interconectado, onde tudo se transforma rapidamente, é facilmente perceptível que os profissionais estão sempre se reinventando, buscando a requalificação e formas de dominar novas competências para que possam se manter inseridos e diferenciados no tão disputado mercado de trabalho.

O World Economic Forum – (WEF) também debruçou-se sobre os estudos da SHRM e tem autoridade para afirmar categoricamente que “o pensamento analítico e a capacidade de resolver problemas estarão no topo das habilidades requisitadas pelos empregadores futuramente”, significando que os seus portadores estarão entre os que conquistarão as melhores oportunidades profissionais e, por consequência, melhores salários e estabilidade no emprego.

E, ainda segundo a WEF, essa perspectiva não faz parte de um futuro tão distante assim, com esse cenário já sendo lapidado contemporaneamente e visando ser consolidado já na próxima década. 

Isso significa que os futuros – e atuais – gestores buscarão profissionais que estejam aptos a auxiliar nas estratégias de tomadas de decisões, atuando de forma a desenvolver a capacidade crítica, somando-se às tecnologias disponíveis – como a automatização, o mundo digital, o metaverso e a inteligência artificial – para a resolução de problemas, tanto da organização quanto de seus clientes.

Pensamento analítico, a habilidade de ouro para o futuro

O pensamento analítico em um profissional é demonstrado por meio de aptidões que visam estabelecer padrões por meio da análise dos dados informativos que estão disponíveis, para agir de forma lógica, prática, crítica e realística.

O WEF afirmou que 75% das empresas nos Estados Unidos têm dificuldades de encontrar profissionais que tenham o pensamento analítico entre as suas principais habilidades, cenário que certamente deve se repetir em outras nações do mundo, inclusive o Brasil. 

Saber como se comunicar e ter uma mente flexível, capaz de gerenciar demandas diversas, com racionalidade, boa percepção de cenários, destacando-se de forma cognitiva será imprescindível para os trabalhadores nos próximos anos.

O que estamos querendo dizer para você é o seguinte: não basta ter apenas as habilidades técnicas, é preciso também ser hábil socialmente!

Não haverá mais espaços para achismos e suposições no mercado de trabalho. O profissional que souber pensar de forma analítica, lidando com a lógica, será um grande resolutor de problemas, muitas vezes, inclusive, antecipando-se a eles.

Contudo, serão essas habilidades que o profissional já deve “nascer sabendo” ? Ou será que elas são passíveis de serem aprendidas no decorrer da vida? 

A WEF estima que mais da metade dos trabalhadores do mundo (!) vai precisar passar por treinamentos já nos próximos 3 anos (3 anos, percebe como está próximo esse futuro?) buscando a capacitação necessária para desenvolver o pensamento analítico.

Aprenda como desenvolver o pensamento analítico

Já compreendemos juntos que para ser um profissional de pensamento analítico, lógico e prático, é preciso dominar algumas técnicas que permitem basear-se em fatos para estabelecer padrões e, com as informações disponíveis, buscar soluções conectadas com a realidade.

Dessa forma, em nossa opinião, é preciso desmistificar essa ideia do “nascer pronto”, deixando de acreditar que o pensamento analítico é apenas um dom natural, ou apenas uma aptidão que surja unicamente com o amadurecimento profissional. 

Pensar de forma analítica é algo que pode ser sim aprendido, uma habilidade que pode ser desenvolvida. Mas não é simples, requer dedicação.

Para destacar-se no mercado de trabalho do futuro (não tão distante assim), por meio da resolução de problemas e domínio do pensamento analítico, comece a praticar, desde já, as seguintes ações:

1 – Seja observador e muito sensorial com tudo o que acontece ao seu redor.

2 – Mantenha a mente ativa e em constante funcionamento.

3 – Conquiste novos aprendizados incessantemente, como um novo idioma ou domínio de novas ferramentas. 

4 – Seja questionador e busque entender o motivo das coisas acontecerem.

5 – Pratique o autoconhecimento e seja analítico com as suas próprias decisões.

6 – Busque sempre por padrões, análises e informações. 

Leia também: Quarta Revolução Industrial: entenda sobre o futuro da sua profissão.

Após versarmos juntos sobre as qualidades necessárias para os futuros profissionais, não nos resta dúvidas de que desenvolver o pensamento analítico será uma das mais importantes medidas que os profissionais podem tomar em benefício próprio.

Pensar criticamente e resolver problemas com a criatividade serão as habilidades mais demandadas, por isso, é importante que os indivíduos saibam como melhorar o pensamento crítico.

Agora chegou a sua vez, queremos saber a sua opinião: você também acredita que o pensamento analítico é a competência do futuro? 

Deixe a sua opinião nos comentários e continue acompanhando os nossos próximos posts, com assuntos relevantes sobre o mundo do trabalho.

BLN Contabilidade

smart attractive asian female business owner weared virtual reality glasses enjoys casual metaverse meeting with concentrate at cafe restaurant,asian female  using oculus rift headset in cafe

Pretende trabalhar no Metaverso? | Conheça as oportunidades do futuro

Aqui no blog da BLN, já apresentamos para você o que é o Metaverso (caso você ainda não tenha lido, é só clicar e conferir). Então, já entendemos sobre como será essa mistura de real e virtual, mas nos veio à mente um novo questionamento: quais serão os tipos de emprego que estarão disponíveis às pessoas interessadas em trabalhar no Metaverso?

De forma resumida, sabemos que o Metaverso é um mundo virtual compartilhado onde, em teoria, as pessoas poderão criar um avatar e viajar por esse mundo imersivo para socializar, jogar, trabalhar, criar, fazer compras ou até mesmo assistir remotamente a um show ou evento esportivo usando fones de ouvido de realidade virtual por exemplo.

O Metaverso, assim como acontece com boa parte das tecnologias globais, também criará novas oportunidades de trabalho, que vão exigir uma combinação de habilidades para serem devidamente preenchidas.

Para ajudar você a manter sua carreira próspera também no Metaverso, vamos indicar algumas profissões que estarão com demanda alta para que você possa se especializar desde já e ter condições de se destacar profissionalmente no futuro.

1 – Engenheiros de software

Por causa do uso constante da realidade aumentada (RA), da realidade virtual (RV) e da inteligência artificial (IA), ferramentas que estão em alta e com constante aumento de demanda conforme o Metaverso for se expandindo, os engenheiros de software serão profissionais disputados.

Com a consolidação da novidade, as empresas precisarão de milhares de engenheiros de software com domínio das ferramentas citadas para desenvolver ainda mais computadores, softwares e aplicativos para o metaverso. 

Esse profissional precisará ter muitos conhecimentos em ciências da computação, além de habilidades com tecnologias 3D e vasto saber sobre realidade virtual e realidade aumentada.

Apesar de toda a tecnologia envolvida, os engenheiros de software tendem a trabalhar em equipe, o que exige capacidade de manter um pensamento analítico voltado para a resolução de problemas.

2 – Engenheiros de produção

Com o esperado crescimento de usuários do Metaverso, e a demanda antecipada por produtos e conteúdo, as empresas precisarão de ainda mais engenheiros de produção para projetar produtos, testar e resolver falhas, gerenciando novas iniciativas e impulsionando o desenvolvimento de produtos, trabalhando junto de várias equipes de engenheiros, designers e outros especialistas.

Inclusive, os engenheiros de produção não precisam esperar pela consolidação do Metaverso, pois a busca por sua especialidade por parte das empresas já começou, mas é pensado que futuramente empresas como Google, Meta e Oculus buscarão avidamente pelos melhores profissionais da área, oferecendo salários considerados muito interessantes.

3 – Desenvolvedores de jogos 3D

Especialistas do setor esperam que a procura por desenvolvedores de jogos 3D  aumente à medida que o Metaverso cresce. 

Esses profissionais representam a força criativa por trás do desenvolvimento de um jogo virtual, e os desenvolvedores de jogos no Metaverso serão responsáveis por projetar, prototipar e construir uma experiência de jogo 3D totalmente imersiva, que envolva os jogadores como nunca antes.

O Metaverso será uma oportunidade perfeita para os designers de jogos ampliarem as suas habilidades, enquanto atraem novos usuários, legitimando os jogos e fazendo jus a uma ótima remuneração.

Para ser um desenvolvedor de jogos 3D, é preciso ter uma ampla gama de competências técnicas, interpessoais e criativas, conhecimentos sólidos de animação por computador, modelagem 3D e planos de fundo, ilustração, iluminação, interfaces de jogos entre outras habilidades. 

Além de possuir habilidades de programação, o profissional certamente precisará dominar programas populares de software de jogos, como Unity, Blender, Maya e a famosa e atual Unreal Engine.

4 – Especialistas de marketing voltados para o Metaverso

O marketing será uma das funções mais procuradas no Metaverso, pois serão necessários especialistas capazes de criar e executar campanhas de marketing que sejam imersivas e interativas, que una as vias entre o físico e o digital, atraindo os usuários já habituados com o ambiente digital.

Os jogos e outras ferramentas serão produtos que representarão diversas empresas almejantes que usuários interajam com seu produto e, eventualmente, façam uma compra, sem sair do metaverso.

Para ter sucesso com marketing no Metaverso, os especialistas precisarão de uma ampla gama de conhecimentos técnicos, perspicácia de negócios, visão e criatividade, bem como a capacidade de analisar dados e tendências para formular uma estratégia de longo prazo.

Conclusão

Com esse post, nosso objetivo foi demonstrar que empregos e planos de carreira estão começando a se preparar para suprir as ótimas expectativas que os aguardam dentro do mundo do Metaverso.

Embora seja esperado que muitas oportunidades criadas sejam oferecidas nos campos da ciência da computação, comunicação e engenharia, profissionais com fortes habilidades sociais, domínios técnicos e sagacidade nos negócios também podem ter perspectivas de valorização profissional dentro do ambiente digital do Metaverso. 

O metaverso está chegando, você está pronto?

BLN CONTABILIDADE