Business man looking at data chart to do stock market analysis for company growth on laptop. Entrepreneur looking at global money trade to invest in crypto currency and work on project.

Scrum | Utilize nos projetos de sua empresa

Uma equipe que trabalhe com eficiência, qualidade, minimizando e corrigindo erros, concluindo as atividades em menos tempo, mesmo as mais complexas, é o que propõe a metodologia Scrum, técnica de destaque para a gestão de processos

O que é o Scrum?

O Scrum é uma metodologia de trabalho que realiza a atividade final por meio de pequenos ciclos. Cada um desses ciclos é pensado previamente, tem seu tempo de execução definido e determinados os processos necessários para a execução da tarefa. 

Dessa forma, o Scrum permite à equipe tornar mais efetivo o trabalho em conjunto e um melhor acompanhamento das etapas do projeto até à conclusão. A atenção de todos fica voltada para a qualidade do trabalho feito e para o cumprimento dos prazos estabelecidos.

Pode parecer paradoxal, mas as equipes que adotam a metodologia Scrum costumam afirmar que conquistam melhores resultados, utilizando menos tempo, recursos e pessoas. Essa conclusão foi obtida por Jeff Sutherland, um dos criadores do Scrum. 

Sutherland afirma que “a estrutura do Scrum procura aproveitar a maneira como as equipes de fato trabalham, oferecendo ferramentas para se auto-organizarem e otimizarem, em pouco tempo, a rapidez e a qualidade do trabalho”.

Os personagens que atuam no Scrum

Esses são os participantes das equipes Scrum:

Scrum Master

É o responsável por liderar a equipe e fazer com que todos compreendam bem os conceitos da metodologia, por isso deve ser alguém que compreenda profundamente todas as etapas do processo. Caso seja necessário, ele deve fornecer treinamento e monitoria à equipe. 

Product Owner

Tem a função de manter toda a equipe informada acerca do projeto. Ele disponibiliza os recursos a serem utilizados e define qual será a participação de cada um na execução da tarefa e o que deve ser priorizado.

Ele também faz a ligação entre cliente, projeto e equipe. 

Scrum Team

É a equipe profissional, multidisciplinar, que fica encarregada de desenvolver o projeto e finalizá-lo dentro do prazo. Todos têm o conhecimento necessário para o trabalho e o fazem de maneira conjunta.

A equipe que forma o Scrum Team segue fielmente o que foi projetado pelo Product Owner e é diretamente apoiada pelo Scrum Master para desenvolver as atividades e entregar o combinado em tempo hábil. 

Como utilizar o método Scrum na minha equipe?

Após ter explicado os conceitos do Scrum, vamos exemplificar, por meio de um passo a passo, como aplicá-lo na sua empresa.

1 – Montar a equipe de trabalho

Reunir as pessoas que possuem as habilidades técnicas necessárias para cumprir a tarefa é o primeiro passo. 

As funções de cada um são definidas, inclusive os postos de Scrum Master e Product Owner, também são definidas nessa etapa. 

2 – Pensar no produto ou serviço que será entregue

Baseando-se no planejamento idealizado pelo Product Owner, deve-se começar a esboçar uma visão inicial do produto ou serviço que será entregue. 

Aqui, o ideal é que seja pensado o que será prioridade e quais recursos serão utilizados para a realização do objetivo.

O Product Owner pode fazer alterações durante o desenvolvimento do projeto caso exista necessidade.

3 – Projetar as etapas de trabalho

Cada etapa do trabalho deve ser planejada. No Scrum, elas têm o nome de Sprint.

Para cada Sprint devem ser definidos o tempo de duração, as atividades a serem realizadas e os responsáveis por cada uma. 

Planejar bem todos os Sprints permitirá que o trabalho ganhe fluidez e tornará mais fácil verificar o andamento de cada etapa.  

4 – Reuniões frequentes

Reunir a equipe é fundamental para analisar os processos realizados, dirimir erros e verificar os pontos positivos e negativos de cada etapa cumprida, além de planejar os dias de trabalho futuros e cumprir os prazos.

As reuniões permitem que os trabalhadores alinhem as atividades e se informem sobre as etapas já realizadas por meio de conversas claras e concisas.

As seguintes perguntas podem ser excelentes guias para as reuniões:

A – O que foi feito ontem?

B – O que será feito hoje?

C – Há algum impedimento para fazer o trabalho?

5 – Incentivo de feedbacks

Conversar é uma das palavras-chave do Scrum. Por isso, dar e receber feedbacks é fundamental para que se descubra quais melhorias podem ser feitas e o que já está em um nível satisfatório de qualidade. 

Toda opinião deve ser ouvida, ter sua pertinência analisada e as possíveis melhorias propostas colocadas em prática. 

Leia também: Trabalho híbrido: a combinação perfeita entre o remoto e o escritório.

Conclusão

Se o objetivo é ter uma empresa ágil, com processos bem definidos, democráticos, com liderança ativa e erros minimizados, o Scrum se apresenta como uma metodologia com propostas condizentes às necessidades citadas.

As práticas orientadas pelo Scrum permitem uma melhor rotina no ambiente de trabalho e performam visando à qualidade do serviço realizado.
Confira todos os posts do nosso blog para obter mais informações sobre práticas benéficas ao ambiente empresarial.  

Corporate Management Strategy Solution Branding Concept

Lucro real e lucro presumido: qual regime tributário escolher?

Está com dúvidas na escolha entre lucro real e lucro presumido? Essa é uma dúvida comum, já que a decisão sobre qual será o regime tributário adotado pelo empreendimento é uma das mais importantes – e delicadas – decisões que um empreendedor deve tomar a respeito de sua empresa

De início, podemos dizer que o sistema tributário escolhido deve estar de acordo com as reais condições do negócio. Os tributos provenientes da escolha não devem impedir o crescimento da empresa ou fazer com que ela perca a saúde financeira, tendo que lidar com altas cargas tributárias, pois a escolha entre lucro real e lucro presumido estará diretamente ligada aos impostos a serem pagos e aos lucros obtidos. 

Para melhor esclarecer para você, vamos explicar, no decorrer do texto, sobre ambos os regimes, detalhando suas características para que fique claro qual deles melhor se adequa à sua empresa.

Lucro real e lucro presumido – O que são?

No Brasil, toda empresa deve seguir uma estrutura de tributação. Os conhecidos MEI e Simples Nacional atendem os pequenos negócios e têm reduzidos impostos e burocracias.

Às empresas que têm um faturamento anual superior a R$ 4,8 milhões foi dada a opção de escolha entre o lucro presumido e o lucro real, sendo o último obrigatório para as empresas que faturam mais do que R$ 78 milhões anuais. 

Lucro presumido

O Lucro Presumido é tido como o segundo maior modelo enquadrante de empresas brasileiras – atrás apenas do Simples Nacional – e não tem esse nome por acaso, pois as margens de lucro definidas por ele são presumidas, ou seja, tem como base de cálculo uma margem de lucro previamente definida pela lei e que se enquadra no ramo de atuação do negócio, não refletindo exatamente a realidade da empresa. 

Dessa forma, o cálculo do lucro obtido pela atividade empresarial fica dispensado quando não for oriundo de ganhos específicos, como os provenientes de aplicações financeiras. 

Podem se enquadrar nesse modelo todas as empresas que não são obrigadas a aderir ao Lucro Real. E, mesmo que os lucros obtidos pelo empreendimento tenham margens maiores, os tributos serão aplicados apenas sobre os percentuais fixados.

Os percentuais utilizados para a base de cálculos sobre faturamento para presumir as atividades são os seguintes:

→ 1,6% para empresas que revendam combustíveis;

→ 8% para as atividades comerciais variadas;
→ 16% para o transporte que não seja o de cargas;

→ 32% para atividades que prestem serviços que exigem formação técnica / acadêmica e serviços em geral.

Esses percentuais são previamente fixados pela legislação e serão aplicados mesmo se o lucro obtido for menor do que o do valor pré-fixado. Por isso, a escolha deve ser feita de acordo com a realidade empresarial, evitando que o empreendedor recolha tributos desnecessários.

Lucro Real

Como dito anteriormente, o Lucro Real é obrigatório para as empresas que têm um faturamento superior a R$ 78 milhões. Seu processo de cálculo do lucro contábil – de complexidade maior com relação aos outros regimes – envolve a apuração da empresa e os ajustes da legislação fiscal, sendo levado em conta o lucro líquido em um determinado período de tempo.

Dessa forma, o valor dos tributos ficam diretamente ligados ao valor levantado pela empresa. Caso sejam verificados prejuízos, e como não há uma base de lucro presumida, a empresa ficará dispensada do recolhimento desses tributos.

E, falando em tributos, são os seguintes que serão diretamente afetados pelo modelo de tribulação escolhido:

→ Contribuição Para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS)
→ Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL)
→ Programa de Integração Social (PIS)
→ Imposto Sobre a Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ)

A forma de apuração de outros tributos – como o IPI, ICMS e o ISS – e de contribuições previdenciárias não são afetadas.

Como fazer a escolha entre Lucro Real e Lucro Presumido?

No início de cada ano fiscal será possível fazer a opção. Também será possível mudar de regime tributário, caso isso seja permitido à sua empresa. A escolha não é passível de alteração durante todo o ano em que for feita a opção.

O ideal é que a escolha seja feita sob a orientação de profissionais da área de contabilidade capacitados para identificar qual modelo de tributação melhor se adequará à realidade da sua empresa.

Empresas que fazem um controle contábil eficaz são mais propícias a manter ganhos e gastos organizados e, assim, ter melhores condições para optar pelo regime contábil mais indicado.

Caso permaneça a dúvida sobre qual regime tributário escolher, faça contato com a BLN clicando aqui e solicite um orçamento para a sua demanda.